quarta-feira, maio 03, 2006

Zeca Afonso


foto: guida alves

Paz poeta e pombas
A Paz viajou em busca da silêncio
Sitiou Berlim
Abdicou em Londres
A Paz saltou dos olhos do poeta
Atacada de psicose maniaco-depressiva

Foi nessa altura que as pombas
Solicitaram nas agências as tarifas
Mas não viram mais o poeta
Que gozava na Suiça
Duma licença graciosa

A Paz saiu aos saltos para a rua
Comeu mostarda
Bebeu sangria
A Paz sentou-se em cima duma grua
Atacada de astenia

Foi nessa altura que as pombas
Solicitaram nas agências as tarifas
Mas não viram mais o poeta
Que gozava na Suiça
Duma licença graciosa

5 Opiniões:

Blogger mariabesuga opinou...

"Maio, maduro Maio..."

A Paz, do poeta para nós, nas asas da pombas...

Beijinho
Besuguinha

quinta mai. 04, 11:41:00 da manhã  
Blogger Manela opinou...

Fico contente pelo seu regresso...
Já tinha saudades dos seus posts...
do Zeca, nada como ouvi-lo para me sentir viva...

sexta mai. 05, 10:54:00 da tarde  
Blogger zecadanau opinou...

Como gostava desta "face" do Zeca.

Um @bração do
Zeca da Nau

domingo mai. 07, 05:05:00 da tarde  
Blogger manel pedro opinou...

eu assisti: um carro patrulha, um jipe e quatro agentes mobilizados, para além do policia de giro que, segundo a senhora da tabacaria, ficou três horas a guardar o pombo ou pomba que tinha a asa ferida e não conseguia voar. levarm a ave no jipe para a esquadra. isto tudo na estação do cacém sexta à tarde

segunda mai. 08, 01:21:00 da manhã  
Blogger a.castro opinou...

Olá, Guida!
À esquerda da Rua da Paz e do bonito poema do Zeca... peço-te que coloques o Malaposta por cima do Maschamba para ficar correcto "de A a Z". Desculpa, é a minha mania do perfeccionismo...
Bjs.

segunda mai. 08, 06:10:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Caminho de volta