domingo, abril 30, 2006

Sidónio Muralha

Romance

Depois daquela noite os teus seios incharam;
as tuas ancas alargaram-se;
e os teus parentes admiraram-se
e falaram, falaram...

Porque falaram duma coisa tão bela,
tão simples, tão natural?
Tu não parias uma estrela
nem uma noite de vendaval...

Mas tudo terminou porque falaram.
Tu fraquejaste e tudo terminou.
- Os teus seios desincharam;
só a tristeza ficou.

Ficou a tristeza duma coisa tão bela,
tão simples, tão natural...

- Tu não parias uma estrela,
nem uma noite de vendaval... .............................. ...............foto: andrez irrazabal

3 Opiniões:

Blogger zecadanau opinou...

Bonito.

Um @bração do
Zeca da Nau

domingo abr. 30, 05:57:00 da manhã  
Blogger oasis dossonhos opinou...

Belíssima homenagem a um grande poeta esquecido.
Posso pedir mais poemas do Sidónio Muralha para próximos posts? Conheci a obra dele com Valéria e a Vida um conto para crianças com preocupações ambientalistas, muito bonito, que aliás terá sido então premiado.Mas não é fácil encontrá-lo em livrarias? Podes dar uma dica?
Beijos
LFM

domingo abr. 30, 02:29:00 da tarde  
Anonymous Anónimo opinou...

Olá LFM,

Valeria e a Vida está de novo editado pelas edições Gailivro
e a 1ª edição, nesta Editora, é Março de 2004.
ISBN 987-557-099-6

Espero que a informação seja util.

É realmente uma história fabulosa

Ana Barroca

terça mai. 01, 10:17:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Caminho de volta