terça-feira, outubro 11, 2005

Miguel Torga


Canção do semeador

Na terra negra da vida,
Pousio do desespero,
É que o Poeta semeia
Poemas de confiança.
O Poeta é uma criança
Que devaneia.

Mas todo o semeador
Semeia contra o presente.
Semeia como vidente
A seara do futuro,
Sem saber se o chão é duro
E lhe recebe a semente.

3 Opiniões:

Blogger mfc opinou...

A esperança nunca morre!

quinta out 13, 01:30:00 da manhã  
Blogger girassol opinou...

É mesmo em chão duro que semeamos, e esperamos que floresça, a esperança que somos.
Um beijo para ti, Guida
Besuguinha

quinta out 13, 11:33:00 da manhã  
Blogger sagher opinou...

ja correm o soares,

alegre, e chico louçâ

jerónimo anda nos ares

e cavaco na diz que nã


sao pois cinco os passarinhos

dispostos ao sacrificio

de sairem mais gordinhos

deste novo e belo oficio


presidente! querem ser

coisa que todos merecem

passear até esquecer

é o que todos prometem


ja mestre bordalo afirmava

ser grande vaca, a politica

a burguesia mamava

o povo aguava em bica

quinta out 13, 06:49:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Caminho de volta