terça-feira, julho 05, 2005

Cabo Verde, 30 anos depois


Sorte
(Cesaria Evora)

Trinta e cinco óne despôs
El tchega na mim
El rodeá na bêra d´muto
caboverdeano
Moda borleta
El sentá na mim
Li el otchá mel el otchá fel
Qu´m tava ta guardá´l
El otchá-me pronto pá el

Sorte di nha vida
´M tava ta esperó-be
Já bô tchega, dali bô ca tá bai
Deus qu´mandó-be
Sabê o qu´el fazê
Mim´m recebê-be di broce aberte
P´m reparti-bo co nha povo
Graças a bô mundo inter
Já consagra-me

Fama di nha terra
´M tá fazê graças à bô
Mensagem di nós poeta
´M tá levá p´ess mundo fora

´M canta sodade pa quel qui bai
´M canta regresse pa quel qui bem
Sorte pa mim, sorte pa nha terra
Sorte pa tudo quem ta uvi-me

Sorte pa mim
Sorte pa nha terra
Sorte pa tudo quem ta uvi-me

3 Opiniões:

Blogger Sonia F. opinou...

Que saudades de Cabo Verde. Há oito anos atrás, onde passei uma terça feira de carnaval, as pessoas dançavam nas ruas, os putos pulavam descalços, um deles puxou-me para a festa, e num segundo já ninguém estava apenas a assistir. Estavam todos a dançar no meio da rua, a festejar pela noite dentro. Até o João dançava. :) Nunca dancei tanto como em Cabo Verde.

quarta jul 06, 02:29:00 da tarde  
Blogger Fernando B. opinou...

Cesaria é uma embaixatriz do seu Povo.

Gostava de te ver no jantar do Fraternidade.

Beijocas.

quarta jul 06, 03:37:00 da tarde  
Blogger oasis dossonhos opinou...

Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

quarta jul 06, 06:34:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Caminho de volta