quarta-feira, outubro 13, 2004

"O Idanhense"



(84. Mais uma vez Idanha-a-Velha)

As pedras

As pedras falam? pois falam
mas não à nossa maneira,
que todas as coisas sabem
uma história que não calam.

Debaixo dos nossos pés
ou dentro da nossa mão
o que pensarão de nós?
O que de nós pensarão?

As pedras cantam nos lagos
choram no meio da rua
tremem de frio e de medo
quando a noite é fria e escura.

Riem nos muros ao sol,
no fundo do mar se esquecem.
Umas partem como aves
e nem mais tarde regressam.

Brilham quando a chuva cai.
Vestem-se de musgo verde
em casa velha ou em fonte
que saiba matar a sede.

Foi de duas pedras duras
que a faísca rebentou:
uma germinou em flor
e a outra nos céus voou.

As pedras falam? pois falam.
Só as entende quem quer,
que todas as coisas têm
uma coisa para dizer.

(Maria Alberta Meneres )

2 Opiniões:

Blogger Idanhense opinou...

Inesperadamente no seu blog aparece a fotografia da minha casa antes de ser remodelada. As pedras trabalhadas ainda estão guardadas, mas qualquer dia para aí serão de novo levadas para serem expostas e criarem ambiente à casa.
Estou muito contente.

quinta out. 14, 09:37:00 da manhã  
Blogger Guida Alves opinou...

Pois, meu caro "Idanhense", há coincidências do arco da velha! Vasculhei as fotos que tenho de Idanha-a-Velha e esta agradou-me particularmente, pois não apresenta apenas pedras, mas também uma casa habitada, vivida. Ainda bem que é a sua!

quinta out. 14, 12:29:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Caminho de volta