domingo, setembro 11, 2005

Eugénio de Andrade




As primeiras chuvas


As primeiras chuvas estavam tão perto
de ser música
que esquecemos que o verão acabara:
uma súbita alegria,
súbita e bárbara, subia e coroava
a terra de água,
e deus, que tanto demorara,
ardia no coração da palavra.

4 Opiniões:

Blogger Mitsou opinou...

Belo poema à tão desejada! Eu gosto do Outono e já se lhe sente o cheiro. Beijinho.

terça set 13, 12:16:00 da manhã  
Blogger mfc opinou...

Chegou sim...mas foi poucaxinha!

terça set 13, 10:09:00 da tarde  
Anonymous Anónimo opinou...

Pena é ser tão poucas... excelente poema.

patrimonios.blog.com

quarta set 14, 06:28:00 da tarde  
Anonymous Anónimo opinou...

Ups... serem tão poucas... :)

patrimonios.blog.com

quarta set 14, 06:29:00 da tarde  

Enviar um comentário

<< Caminho de volta